A RAZÃO DE EXISTÊNCIA DO PURP E O QUE PRECONIZA

//A RAZÃO DE EXISTÊNCIA DO PURP E O QUE PRECONIZA

A RAZÃO DE EXISTÊNCIA DO PURP E O QUE PRECONIZA

O PURP nasce, exactamente de uma revolta e indignação de um Grupo de Cidadãos, que num determinado estádio da vida, se apercebeu que os Partidos com assento parlamentar, há mais de 40 anos, nada fizeram por uma classe/segmento de Cidadãos, fustigando-os com uma política desumana que massacraram e desprezaram, retirando-lhes, um mínimo de dignidade existencial, esquecendo que, foram e são estes Homens/Mulheres que acodem aos Filhos e Netos, em situações mais críticas.

Na vida activa, ajudaram a construir dentro das suas possibilidades este lindo País.

Como prova provada temos, milhares  e milhares de Reformados, que em plena Juventude, foram obrigados a irem defender a Pátria, refiro-me aos Ex-Combatentes do Ultramar,  que regressaram, com mazelas graves (física e psicológica), cujas vidas, a partir dessa altura os INIBIU de terem uma vida, dita normal e, ainda hoje a sofrer desse desiderato, com o desconforto que ainda hoje sentem, bem como, os familiares.

Que fizeram então os “cavalheiros” com assento parlamentar, rigorosamente nada. Votaram-nos ao ostracismo e, mais grave, alguns Partidos, devido à sua dura ideologia, quase os consideraram de traidores à Pátria, ao contrário de outros (desertores), que até lhes estenderam uma passadeira vermelha, com o epíteto de heróis. (lembro o Alegre e outros).

Foram estes pressupostos, entre outros, do David versus Golias, deram deram o mote para a Constituição do Partido.

 DIFICULDADES DO PURP

Grosso modo, falta de um mínimo de apoio da Lei, quando os legisladores só se preocuparam com eles próprios, sobretudo os mais fortes, permitindo, hipocritamente cinicamente a existência de outros, mas, não lhes proporcionando um mínimo de existência.

Somos literalmente contra a Lei de financiamento, onde se desbaratam milhões, particularmente, em Campanhas, que chegam a atingir, valores obscenos/pornográficas, dos dinheiros do erário publico (nossos impostos), para que uma casta de cidadãos, manipulem a seu belo prazer as pessoas, montantes esses, que deviam ser investidos na qualidade de vida dos mais carentes.

APOIOS ESTATAIS

Neste particular, preconizamos, uma verba única  aleatória por exemplo; de 10 mil euros, a distribuir em partes iguais por cada Partido, para que à partida, todos partam em EQUIDADE perante os Cidadãos. Veja-se o exemplo ultimo do PSD nas Eleições internas. A fazer fé, nos números que votaram, mais ou menos 600.000 x 12€ tem-se uma entrada de fundos quase na ordem de setecentos e cinquenta mil euros e, pelos vistos, não lhes chegam, como o PS, por exemplo, com um passivo na Banca de quase 20 milhões. Tudo para gastarem à tripa forra e  desbaratarem em Hotéis e passeatas, à nossa custa, sem um mínimo de pudor.

PROJECÇAO NOS MEDIA

Para que não aconteçam frases como aquela proferida pela Flor Pedroso da Antena 1, quando disse que o PURP, só aparece em Eleições, que muito nos indignou, achamos que à partida, todos os Partidos legalmente aceites pelo T. C., devia ser obrigatório que todos tivessem hipóteses de explanar as suas ideias e programas, para que os Cidadãos entendessem a razão da nossa existência e o que pugnamos para o País, em pé de igualdade. Sim, seria a reposição de um direito Constitucional, o que infelizmente não acontece. 

PROPOMOS AOS PORTUGUESES O SEGUINTE:

Se nos derem o seu Voto, para elegermos 2/3 Deputados no mínimo, tudo o que fizermos, fá-lo-emos com sentido de missão, nada de carreirismo ou benesses e, até em certos casos, prescindir a favor da comunidade dos seus salários e entregá-los a uma qualquer Instituição de Beneficência, como se de uma ONG se tratasse.

Preconizamos:

1 –MEIOS A DISPONIBILIZAR

 Que todos os Reformados não aufiram uma Reforma inferior ao SMN. Foi uma Vergonha Nacional, o Passos ter confiscado uma boa parte das Reformas,  e agora o Costa, que com pompa e circunstância, noticiou com grandes parangonas nos media, um aumento de 10€/mensais a quem ganha menos de 300/400€,que consideramos uma humilhação (33 cêntimos/dia) quando um qualquer T1 custa de arrendamento próximo desse valor. Um embuste, em toda a sua plenitude.

2 – SAÚDE

O PURP, não pode aceitar que, como se ouviu há dias, que uma Administração de um Hospital (FARO), desse instruções aos Directores Clínicos, que cortassem nos meios de diagnóstico (exames vários) ao segmento de mais idosos. 

Não pagamento de taxas moderadoras aos mais necessitados. 

Aproveitamento dos espaços desactivados dos quartéis Militares, para implementação de Lares e Creches. Apoio domiciliário de qualidade e proximidade.

Criação de cuidadores de saúde, privilegiando a qualidade, dando-lhes as ferramenta indispensáveis na melhoria do apoio.

TRANSPORTES

Preconizamos igualmente, que o grupo etário Reformado, deveria ter um passe social gratuito, a fim de poderem sair de “entre paredes” e desfrutar de algum conforto.

TAXAS E TAXINHAS

O PURP, sobre esta matéria, é frontalmente contra as taxas, em serviços e produtos básicos, como: o iva da edp (23%), taxa do audiovisual (uma aberração) e outras, que oneram consideravelmente as facturas, e são incomportáveis, nos precários orçamentos familiares de mais de 1/3 dos Cidadãos.

CONCLUSÃO

É nossa convicção, e pensamos, fazer todo o sentido, existir uma agente político vocacionado para a defesa incondicional dos Reformados, na ordem de 2,5 milhões, que precisam de ter VOZ e representar musculadamente com convicção e resiliência na AR, confrontado “olhos nos olhos” os seus parceiros de bancada, que de propósito ou omissão, descurarem  as necessidades básicas deste segmento da população desprotegida e mais débil, enquanto não se erradicar a fome e carências diversas existentes, que se impõe sejam atenuadas.

Se tivermos o apoio dos Reformados, Conjugues, Filhos e restantes Cidadãos, seremos um enorme agente de pressão junto desses,(parceiros políticos)  os chamarmos à razão e fazê-los “descer à terra”, tentando impor uma política de mais humanidade e solidariedade.

O PURP, enquanto houver milhões de Cidadãos no limiar da pobreza e, sentir que a já de si ,reduzida riqueza produzida no País, é em parte absorvida para injectar na Banca (já lá vão quase 18 mil milhões)  em obras faraónicas ou, em ppp´s, fundações e por aí fora, não se vergará e calará, perante essas incongruências e atentado aos mais elementares direitos dos Cidadãos, em particular, dos Reformados e Jovens (estes obrigados a emigrar), quando, com elevadas qualificações, deveriam ajudar o seu País, face ao investimento que neles foi feito, e que está a ser beneficiado por terceiros.

O PURP, não se fechará na sua concha e, obviamente, está aberto, a todos os contributos, em especial, dos mais Jovens, porque serão o futuro do Partido e do País. A questão geracional e até demográfica, são, como não podiam deixar de ser, uma das nossas principais preocupações.

Para finalizar, o PURP será se os Cidadãos o entenderem, um Partido, exclusivamente focado nos mais desfavorecidos, sendo eles quem forem, Reformados, Jovens, Desempregados, Trabalhadores Precários e outros, por forma a vivermos num País mais Justo e Igualitário.

2018-04-01T15:11:45+00:00 Abril 1st, 2018|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment